O Universo é imenso. O Planeta Terra está apenas em uma pequena porção dele, entre tantas outras galáxias existentes no espaço. É grande o desejo da humanidade em desvendar os mistérios além desse Planeta.

“Este é um pequeno passo para o homem, mas um salto gigantesco para a humanidade.”

Essa foi uma das frases dita por Armstrong, que ficará marcada para sempre na história.

Os primeiros passos do homem na Lua foram surpreendentes. Era como se ele estivesse, apenas, tentando se encontrar, num lugar onde nada era conhecido.

Depois de diversas tentativas, no período da Guerra Fria, que ocorreu no final da década de 50, as expectativas da União Soviética e dos Estados Unidos eram a de descobrir quem seria o primeiro a entrar no espaço. Na Corrida Espacial (1957), os soviéticos, animados pelas descobertas, lançaram o Sputnik, o primeiro satélite a entrar na órbita da Terra.

Enquanto isso, do outro lado, estavam os americanos, que ficaram espantados pela façanha e temiam que os inimigos estivessem planejamento instalar bases militares na Lua. O desejo de conquista foi tão grande, que os Estados Unidos procuraram, de todas as formas, lançar um satélite em órbita.

Entre tentativas frustrantes, surgiu o sucesso: O programa Apollo, em sua 11ª missão, foi o pioneiro a levar uma nave tripulada que pousou na Lua. Em 20 de julho de 1969, Neil Armstrong, um astronauta, saiu da nave e foi o primeiro a pisar na Lua, depois Edwin Aldrin, seu companheiro de viagem.

Você acredita no Homem na Lua?

Existem boatos de que Armstrong não tenha pisado na Lua. Ao longo de décadas, pesquisadores tentaram provar as fraudes. Bill Kaysing, analista e engenheiro da Rocketdyne (companhia que projetou os foguetes Apollo) afirma ter sido impossível a chegada do homem à Lua. Veja algumas incoerências encontradas nas expedições:

  • As fotografias poderiam ter sido retiradas de um estúdio na Terra;
  • Existem várias sombras em diferentes posições nas fotos, sendo que, apenas o Sol iluminava a Lua e as sombras deveriam estar paralelas;
  • Não há penúmbra na Lua, por causa da ausência de atmosfera; mas havia fotos em que foram detectados esses vestígios;
  • Na foto, há ausência de estrelas. Elas deveriam ser mais nítidas no espaço;
  • A radiação solar que atinge a Lua é mortal para os seres humanos;
  • Há fotos com bastante luz, deixando indícios de uso de iluminação artificial;
  • A bandeira dos EUA estava trêmula, mas não existe atmosfera na Lua;
  • Não havia nenhuma cratera embaixo do módulo lunar, a qual deveria ter sido provocada na hora do pouso com o peso do motor;
  • De acordo com hipóteses, o Saturno V ficou na órbita da Terra e retornou depois de 8 dias;
  • O deserto de Nevada, nos EUA, segundo as teorias, foi usado para representar a Lua, na área conhecida como 51;
  • Dez astronautas morreram misteriosamente;
  • Não se ouvia barulhos de motores durante a transmissão de voz com a Terra;
  • Nas imagens dos astronautas, quando eles estavam embaixo dos módulos lunares, parecia haver outra fonte de energia além do Sol, etc.

O governo americano poderá ter conspirado contra a humanidade ou não? Nos anos 60, as pessoas achavam que quem vencesse a Corrida Espacial, chegar primeiro à Lua, americanos ou soviéticos dominariam o mundo. Quem chegasse à Lua ganharia a Guerra Fria. Em 4 de outubro de 1957, os soviéticos lançaram o Sputnik, o primeiro satélite do mundo, causando grande espanto nos americanos. O medo maior era de que armamentos tivessem sendo preparados pela União soviética e temiam todos que eles instalassem uma base militar na Lua.

O Programa Espacial Americano passava por várias dificuldades: os seus módulos não conseguiam entrar na órbita da Terra, inclusive, em alguns deles, Armstrong foi controlar o Modulo Lunar, mas não conseguiu equilibrá-lo e esse acabou caindo e causando uma explosão. Felizmente, ele saiu com vida.

A NASA diz que o resultado da tecnologia dos anos 60 é proveniente das outras fases de teste que faziam há anos. Os vídeos eram ruins e os resultados da transmissão da época também. Em uma reportagem especial feita pela FOX, a NASA despreza muitos dos argumentos que eles estão errados cientifica e fisicamente. Na missão Apollo 1, em 1967, três astronautas, Gus Grissom, Ed White e Roger Chaffey morreram antes de deixar a plataforma de decolagem. A família acredita que não foi acidente, mas sabotagem.

Outro fato é que existe muita radiação no espaço, inclusive um que recobre a Terra, chamado de Cinturão Van Allen. Expostos a ela, os astronautas poderiam ter sido dilacerados ou mesmo ficariam muito doentes em decorrência disso. Todos os tripulantes de Apollo 11 voltaram em ótimas condições de saúde. Seria por causa desse fato que os russos não teriam enviado ninguém à Lua?

Será que realmente o homem pousou na Lua? Será que poderão ser encontrados os módulos? Será que a bandeira dos EUA realmente foi fincada no solo lunar e tantos outros vestígios deixados pelos americanos?

Animais no espaço

Inicialmente, em 1947, a primeira viagem de animais a serem enviados para o espaço foram de moscas frugívoras, retornando à Terra sem nenhum dano. Com o projeto "Homem no Espaço", 1958, as primeiras pessoas começaram a ser treinadas, no projeto Mercury, um ano depois.

Após isso, programas espaciais foram criados para enviar outros animais. O laboratório Aero Medical, na Rússia, começou a fazer experiências e, em 1948, o macaco-rhesus foi colocado no foguete Blossom V-2. Ele morreu sufocado pela falta de espaço no foguete e o projeto ficou conhecido como Programa Albert. Já o Albert II, conseguiu viajar pelo espaço, mas na sua volta, houve a sua morte.

Os Estados Unidos, por meio do projeto Mercury, enviaram um macaco e um chimpanzé: 'Able' e 'Baker' foram os primeiros animais a sobreviver num voo espacial em 1959, demonstrando que era possível enviar o homem ao espaço, com os projetos Gemini e Apollo.

Várias missões foram realizadas com animais e a mais famosa delas foi a Laika. Após o lançamento do Sputnik, pela União Soviética, no dia 3 de novembro de 1957, com o Sputnik II, uma vira lata russa, chamada Laika foi colocada no foguete e lançada rumo ao espaço. A nave havia sido construída de última hora para adiantar a sua partida e evidências mostraram que ela morreu logo após o lançamento, pelo pânico e calor. A tentativa deles foi considerada apenas uma estratégia de marketing.